1/7

Região   Visconde de Mauá

A Região de Visconde de Mauá, em plena Serra da Mantiqueira (Área de Proteção Ambiental), conserva o seu quinhão de Mata Atlântica, aquele jeitinho quieto de mineiro e cenários encantadores que seduzem viajantes que por aqui circulam desde o início do século 19. São santuários ecológicos, nascentes de águas cristalinas, cachoeiras fantásticas, paisagens deslumbrantes, ar excessivamente puro e muita, muita tranquilidade. Dividida em dois estados e três municípios (Resende e Itatiaia, no Rio, e Bocaina de Minas), faz limite com o Parque Nacional de Itatiaia e tem uma vista privilegiada do Pico das Agulhas Negras (2.787m) e das Prateleiras.


Tem também uma gente acolhedora, que mistura o mais genuíno provincianismo do interior brasileiro com um certo ar cosmopolita dos que já correram mundo e ancoraram nestas montanhas mágicas. Um lugar onde ainda se pode ouvir o barulho do rio, o canto dos pássaros, o mugir das vacas e o relinchar dos cavalos, o estalar da mata e o silêncio do entardecer. 

Dos índios Puris ao turismo
 

Percorrer a Região de Visconde de Mauá é também viajar pela História do Brasil e visitar um dos mais centrais polos de Ecoturismo do país, localizado entre Rio e São Paulo, e não muito distante de Belo Horizonte. Originalmente, foi habitada pelos índios Puris, que deram nome à Mantiqueira - 'lugar onde nascem as águas'.


No século 19, iniciou-se a atividade mineradora de ouro na Região, envolvendo os rios Preto, Aiuruoca e outros próximos. Vieram então os portugueses e seus escravos. Começava a criação de gado e burros de carga para o transporte de minério, além da produção de leite.Documentos obtidos pelo professor Alexandre Mendes da Rocha e recolhidos por pesquisadores da Região revelam que, no ano da Proclamação da República (1889), chegaram as primeiras famílias de colonos europeus - italianos e austríacos - às terras de Henrique Irineu de Souza, filho e herdeiro de Irineu Evangelista de Souza, o Visconde de Mauá.  


Com o século 20, vieram suíços e alemães, encarregados de formar uma colônia agrícola. As plantações não foram adiante, por uma série de fatores, e o governo acabou permitindo a comercialização das terras, vendidas a fazendeiros mineiros, que se dedicaram à produção de leite e seus derivados.


Os poucos imigrantes que aqui permaneceram deram início à atividade turística, alugando quartos em suas residências. Nos primeiros tempos, os hóspedes do Rio ou de São Paulo desembarcavam do trem em Resende e subiam a serra a cavalo ou em lombo de burros.

Natureza e conforto


Dos anos 50 em diante, surgiram novas pousadas, restaurantes e diversos pequenos negócios. Graças a isso, a Região de Visconde de Mauá passou a ser cada vez mais conhecida como um santuário ecológico, onde o turista encontra uma mistura perfeita de Natureza e Conforto.


A principal diferença entre Mauá que os primeiros forasteiros conheceram e Mauá de hoje é a existência de hotéis, pousadas, restaurantes, lojas, eventos artísticos e esportivos freqüentados pelos mais exigentes consumidores dos grandes centros urbanos.


Mas a principal atração da Região continua sendo a Natureza. Visconde de Mauá tem montanhas, vales, poços, cachoeiras, picos e trilhas, que podem ser percorridos a pé, a cavalo, de bicicleta, de moto, de charrete ou, se você preferir, de carro mesmo.

Clima e eventos
 

Durante todo o ano, as temperaturas são amenas durante o dia e caem à noite. No inverno, os dias são ensolarados, mas os termômetros podem chegar a 3 graus negativos na madrugada. É preciso ter por perto bons agasalhos, gorros, luvas e cachecóis, além de hidratante para pele e para os lábios.


No verão, as chuvas costumam cair no fim da tarde, mas depois o céu fica limpo e as noites são lindas, com temperaturas muito agradáveis. As meias estações, por sua vez, são deliciosas e podem alternar momentos de muito frio à noite e muito calor, enquanto há sol.
 

A Região vem, há algum tempo, sediando uma série de eventos culturais, gastronômicos, esportivos e ecológicos, que começam a compor um calendário anual. Com atividades nas várias vilas - Visconde de Mauá, ponto de partida para visitar o Vale do Alto Rio Preto, Maringá e Maromba -, esses acontecimentos servem de ponto de encontro entre a gente que vive por aqui e os visitantes.

 

Há espaço para todos os gostos: esportistas, artistas, amantes da boa mesa, apreciadores de boas cachaças, aventureiros em geral. E até para quem prefere apenas tomar um bom vinho, em boa companhia, em frente a uma lareira.

(Copyright Silvia de Souza Costa)

 

Rio Preto
 

A Pousada Terras Altas fica na beira do Rio Preto, que divide os estados de Rio de Janeiro e Minas Gerais. Ele nasce no alto da Serra de Itatiaia (quase 3.000 m acima do nível do mar) e vai até a Cachoeira da Fumaça, após a vila do Rio Preto, desembocando no rio Paraíba.


O Rio Preto é formado por uma série de rios e córregos que descem do alto das montanhas da Mantiqueira ('lugar onde nascem as águas'), constituindo vales que levam seus nomes: Santa Clara, Cruzes, Pavão, Alcantilado, Flores, Marimbondo, Grama e Mirantão.


Ao longo de dezenas de quilômetros, as águas do Rio Preto formam uma sucessão de magníficas cachoeiras que muito contribuíram para fazer da Região de Visconde de Mauá um dos principais pólos de Ecoturismo do Sudeste brasileiro.

Considerada um lugar especial no planeta, por suas paisagens variadas e deslumbrantes, a Serra da Mantiqueira é uma das maiores e mais importantes cadeias de montanhas da América do Sul. Aqui ainda existem preciosos ecossistemas nativos da Mata Atlântica, uma das principais florestas dos trópicos. 

No coração do Brasil, a Mantiqueira - 'lugar onde nascem as águas' - estende-se por três estados (Rio, São Paulo e Minas) e fica praticamente eqüidistante das três maiores capitais do País. Verdadeiro pulmão verde, garante com seus mananciais o abastecimento de água para mais de metade da população brasileira.


Em 1985, um decreto presidencial criou a Área de Proteção Ambiental (APA) da Mantiqueira, que faz parte do Plano Nacional de Meio Ambiente e abrange 25 municípios nos três estados. 

 

Mata Atlântica
 

A Mata Atlântica, uma das principais florestas dos trópicos, ocupava originalmente uma área superior a 1,3 milhão de quilômetros quadrados, distribuídos em 17 estados. Atualmente, com apenas 6% da extensão inicial, ainda é responsável pelo abastecimento de água dos grandes centros urbanos do Sudeste.


É um dos sete ecossistemas nacionais, ao lado da Amazônia, do Cerrado, da Caatinga, das Zonas Costeiras, dos Manguezais e dos Campos Sulinos que, juntos, representam um patrimônio ecológico avaliado em, pelo menos, R$ 4 trilhões (o PIB brasileiro mal superou R$ 1 trilhão), pelo Projeto de Valoração Ambiental, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama).


Nesse conjunto, que torna o Brasil detentor de mais de 10% do patrimônio ecológico do Planeta, a Mata Atlântica talvez seja o ecossistema mais famoso: por sua importância ambiental e por ser o mais ameaçado. O valor de sua fauna e de sua flora é inestimável, devido ao extenso banco genético que contêm.


A região de Visconde de Mauá é um lugar privilegiado para se conhecer e desfrutar do que ainda resta da floresta tropical com a maior diversidade de árvores do mundo.

Km 10, Visconde de Mauá, RJ-151.  

Visconde de Mauá, Resende - RJ, 27553-000.  

Telefones:  (24) 3387.21323387.2194 / 3387.2154 

Whatsapp:  (24) 99999-8520. 

Email: faleconosco@pousadaterrasaltas.com.br

Contato

Compartilhe com seus amigos